Millenium / Artigos e reportagens de games / Wild Rift /

Omegha anuncia desligamento de Mit e ex-caster se manifesta

Omegha anuncia desligamento de Mit e ex-caster se manifesta
0

Equipe de Wild Rift afirmou ter reavaliado a situação contratual de Mit e optou por dispensá-lo; em seu perfil no Twitter, Mit publicou um pronunciamento feito por seu advogado

Omegha anuncia desligamento de Mit e ex-caster se manifesta

Após confirmar que Gabriel "Mit" Souza, ex-técnico e caster de League of Legends acusado de assédio sexual, fazia parte de seu quadro de colaboradores, a organização de Wild Rift Omegha Esports dispensou Mit de seu papel de prestador de serviços nesta sexta-feira (24). O time disse que não tinha conhecimento prévio sobre a instauração do inquérito policial em relação aos três processos que envolvem Mit - o ex-caster se pronunciou sobre a repercussão desta notícia.

Omegha dispensa Mit de sua comissão técnica

"Viemos a público comunicar o desligamento de Gabriel "Mit" do quadro de prestadores de serviços de nossa empresa. Estivemos acompanhando as matérias e comentários esta semana. Com isso, reavaliamos a situação contratual do mesmo. Verificamos que durante este processo surgiram novas informações as quais a organização não tinha ciência e que serão devidamente apuradas pelos órgãos competentes", disse a Omegha em sua nota publicada no Twitter.

Mit se manifesta sobre o caso

Poucos minutos antes do anúncio de seu desligamento da Omegha, Mit utilizou seu perfil no Twitter para falar sobre o caso. "Me manifestando aqui de novo depois de séculos pra acabar de vez com essa matéria tendenciosa, vou dividir a nota em dois tweets", escreveu o ex-caster, publicando seis imagens ao longo de duas publicações.

O texto contido nas imagens, assinado pelo advogado Hugo Viol Faria, fala sobre repúdio ao texto publicado anteriormente pelo MGG Brasil e mostra uma explicação sobre ele do ponto de vista dos advogados da empresa Cimino & Faria Advogados Associados.

"Por fim independente de qualquer força contrária vou continuar lutando pela justiça.", finaliza Mit.

Acusações de assédio e abuso sexual no cenário de LoL

Em janeiro de 2020, Mit foi acusado pela tatuadora Daniela Li de abuso sexual em 2015, quando o treinador ainda atuava com o elenco da paiN Gaming. Segundo o relato, ele tentou forçá-la a fazer sexo oral.

A streamer e ex-participante do reality show ULT Kyure também acusou Mit na época. Em sua postagem, ela diz ter recebido um ‘’tapão na cara’’ e que o ex-treinador tentou apalpá-la enquanto dormia. A influenciadora também citou que logo pela manhã Mit teria revelado o desejo de retirar suas roupas enquanto dormia.

Na época, a cosplayer Debora Fuzeti e a influenciadora Gabriela Tiemi também acusaram Mit de assédio. A ex-namorada dele, Carolina Fernandes, também se pronunciou sobre o assunto e mostrou solidariedade às vítimas. "Foi porque entendi a pessoa ruim que ele tinha sido. O profundo mal que ele tinha causado a mim e a outras pessoas. Foi duro", disse ela sobre o término do relacionamento que durou quatro anos.

Logo após a publicação dos relatos, Mit escreveu uma nota em que não cita nenhuma das supostas vítimas, mas faz uma breve referência à acusação da tatuadora. O ex-técnico e analista de League of Legends disse, na ocasião, estar "devastado e envergonhado" e não compactuar com abuso.

Em 2021 o site The Enemy revelou que Mit moveu uma ação judicial contra as acusações de assédio e abuso sexual. Entretanto, o processo corre em segredo de Justiça, o que significa que informações quanto ao andamento são sigilosas e não há acesso público disponível ao processo. Contudo, as publicações originais que motivaram as ações foram removidas do Twitter após decisão judicial.

esports

Dezenas de casos de abuso sexual vêm à tona em dia histórico para os esports no Brasil

Mais de 20 denúncias de assédio e abuso sexual foram feitas desde terça-feira (5) contra homens do cenário brasileiro de esports

Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Apesar de criarem uma corrente de força e apoio às vítimas, casos como o exposed dos esports podem ser perigosos. Saiba como fazer relatos e denunciar crimes de forma segura

0
Beatriz Coutinho
Bia  - Repórter

Garota mágica formada em jornalismo que ama a sensação de assistir campeonatos e escrever sobre as histórias dos fãs de esports.

Mais Reportagens

17:15 Como jogar Wild Rift no PC? Veja guia com passo a passo e opções de emulador
16:11 Próximos campeões que chegarão para Wild Rift podem ter vazado; veja lista
16:32 Patch 3.3a de Wild Rift traz Kassadin, evento Curtindo o Verão, buffs, nerfs e mais
19:36 Wild Rift ganha novo sistema ranqueado que dá de lavada no LoL de PC
16:44 Técnico de Wild Rift é banido por 18 meses após usar linguagem racista contra Liberty no Icons
16:40 Wild Rift usa os mesmos recursos que o LoL de PC? Rioter explica
16:00 O evento das Guardiãs Estelares está melhor no Wild Rift do que no LoL?
18:37 Skins Guardiãs Estelares para Seraphine, Senna e Orianna são reveladas para Wild Rift
19:24 Omegha anuncia desligamento de Mit e ex-caster se manifesta
16:42 Juíza determina instauração de inquérito policial sobre caso Mit

Recomendados

Mudando de vida: como Free Fire e LoL trouxeram novas perspectivas para a favela
PogChamp, LUL, Kappa: O significado e origem dos memes dos esports
Conheça os jogos que foram sucessos ou fracassos na história dos games

Descubra guias

Como jogar Wild Rift no PC? Veja guia com passo a passo e opções de emulador
Tier List de melhores campeões de Wild Rift no patch 3.3a
Tudo sobre os Elos e ranqueadas de Wild Rift