Millenium / Artigos e reportagens de games /

Celebridade olímpica, Douglas Souza tem canal de gameplays de LoL e é fã de Briny

Celebridade olímpica, Douglas Souza tem canal de gameplays de LoL e é fã de Briny
0

Ponteiro da seleção brasileira foi campeão olímpico na Rio-2016, mas viralizou com vídeos gravados nos Jogos de Tóquio

Celebridade olímpica, Douglas Souza tem canal de gameplays de LoL e é fã de Briny

Quando chegou para a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o ponteiro da seleção masculina de vôlei Douglas Souza era uma figura muito mais conhecida por quem o acompanha regularmente nos jogos do Brasil ou o viu atuar nos últimos anos como um dos jogadores de maior destaque da Superliga Masculina de Vôlei, competição da qual foi campeão brasileiro em 2019. Os vídeos produzidos pelo atleta durante a Olimpíada, no entanto, viralizaram nas redes sociais, e Douglas rapidamente se tornou o jogador de vôlei mais popular no Instagram, rede na qual ele está próximo de alcançar os 3 milhões de seguidores.

Além do talento dentro de quadra e carisma fora dela, o camisa 14 produz regularmente vídeos de gameplay e League of Legends e Valorant em seu canal no YouTube, um lado que boa parte da comunidade dos games, e o público de modo mais amplo, conheceu apenas agora.

Suporte no LoL e main Senna

No vôlei, os ponteiros figuram entre os principais pontuadores de uma equipe, ao lado dos opostos, mas também exercem importante função no passe/recepção e, muito raramente, no levantamento, nas ocasiões em que o passe não chega ao levantador. Nas filas ranqueadas de LoL, porém, Douglas exerce uma função bem menos ofensiva do que nas quadras, e joga a maior parte do tempo como suporte, posição que tem como principal função ajudar o atirador, curar companheiros de equipe e ajudar o restante do time a brilhar nas teamfights.

Para alguém que não pode se dedicar por muito tempo às filas ranqueadas, afinal de contas o LoL é apenas um hobbie para as horas de folga da rotina de treinos e jogos no vôlei, Douglas tem um desempenho bastante digno. Conhecido nas rankeds como Jessieds, o ponteiro da seleção brasileira está hoje, segundo o site OP.GG, no elo Ouro 4, e tem Senna como sua principal campeã.

Douglas, contudo, está longe de ser um "mono champion", e já jogou nas filas ranqueadas com personagens como Lux, sua campeã secundária nas rankeds, Seraphine e Morgana. Como Ouro 4, o ponteiro da seleção tem nesta temporada estatísticas de 23 vitórias e 18 derrotas em ranqueadas solo, o que dá uma taxa de vitórias de 56,1%.

Em seu canal no Youtube, Jessieds admitiu em um vídeo recente que "anda numa vibe meio mono Senna", mas também se gaba de nunca ter perdido para uma ranqueada para alguém que jogasse com os campeões Rakan e Xayah. A exemplo dos vídeos que viralizaram nas redes sociais, Douglas é bem-humorado, investe em edições engraçadas e abraça os memes nos vídeos de seu canal, que conta hoje com 64,5 mil inscritos.

Os vídeos de Valorant são menos frequentes no canal de Douglas, mas na maior parte das vezes o ponteiro resolve partir para o ataque e jogar com a duelista Reyna. Quando não joga com a agente, o camisa 14 da seleção brasileira investe no sentinela Cypher, realizando uma função mais defensiva e fundamental para proteger grandes áreas ou ganhar informação monitorando a movimentação de oponentes que estiverem se aproximando.

Na maior parte do tempo, porém, Douglas aposta em Reyna mesmo, pois como o próprio já disse em um de seus vídeos, a duelista foi feita para ele.

Em entrevista à Betway o atleta havia sido questionado se era mais fácil encarar o bloqueio russo no vôlei ou vencer uma partida de LoL - e ele prefere o duelo em quadra. “Vou te falar que tem dias que é muito difícil ganhar uma partida de LoL. Muito difícil, é horrível. Ontem mesmo eu perdi umas quatro partidas seguidas, eu queria morrer, jogar meu computador na parede. Jogar contra os russos é um pouco mais tranquilo, a gente faz todo dia, é mais de boa, a gente é preparado para isso, aí já é outra ‘vibe’. Ganhar uma partidinha no LoL é muito difícil”, brincou o jogador.

Fã declarado de Briny e ativista LGBTQIA+

Primeiro jogador da história da seleção brasileira de vôlei declaradamente gay, revelação feita pelo ponteiro em 2018, Douglas tem orgulho de falar abertamente sobre sua orientação sexual. Em uma live em abril de 2020, o ponteiro da seleção brasileira disse também que deseja "ser lembrado como o primeiro homossexual a jogar vôlei em alto nível no Brasil" e deseja ser um espelho para outras pessoas.

Não por acaso, Douglas tem como uma de suas principais referências no mundo dos games a streamer Briny de Laet, também conhecida como Queen B. Briny é uma das mais antigas criadoras de conteúdo de League of Legends do país, e primeira mulher trans a obter grande destaque no cenário de games no Brasil, além de inspirar, incentivar e ajudar diretamente outras pessoas LBTQIA+ a conquistarem espaço no meio.

Em suas redes sociais, Douglas não esconde sua admiração por Briny, a quem seque, acompanha as lives e interage frequentemente nas redes sociais. A mais recente aconteceu no dia 20 de julho, no Twitter, quando Douglas já estava com a seleção brasileira em Tóquio.

A admiração de Douglas por Briny é recíproca, e a streamer também é uma fã do oposto da seleção brasileira, que entre vídeos engraçados e cortadas fulminantes contra os times adversários, se tornou a principal personalidade brasileira nos Jogos de Tóquio ao lado da jovem skatista Rayssa Leal, que aos 13 anos conquistou uma medalha de prata na modalidade skate street.

Atleta de alto rendimento desde muito jovem

Dentro das quadras, Douglas começou a se destacar desde muito jovem, e não por acaso integrou todas as equipes de base da seleção brasileira até chegar ao time principal. Em 2011, o ponteiro foi campeão sul-americano sub-17 pelo Brasil, e no ano seguinte repetiu o feito, desta vez com a equipe sub-19.

A ascensão meteórica na carreira continuou no ano seguinte, e Douglas foi vice-campeão mundial sub-21 com o Brasil em 2013, perdendo para a Rússia na grande decisão. No ano seguinte, o atleta faturou os títulos sul-americanos sub-21 e sub-23 com a seleção brasileira.

As performances de destaque nas seleções de base e com a camisa de clubes como Pinheiros e SESI fizeram o ponteiro rapidamente ser integrado à seleção brasileira principal, e em 2016 Douglas foi convocado por Bernardinho para disputar os Jogos Olímpicos do Rio com apenas 20 anos. Em sua primeira Olimpíada, Douglas participava de poucos minutos por jogo, mas marcou seu nome na história ao integrar o elenco que conquistaria o ouro em casa para o Brasil, e dali em diante não saiu mais da seleção.

Em 2018, Douglas brilhou no Mundial de Vôlei de 2018, sua primeira grande competição como titular da seleção brasileira principal. O Brasil foi derrotado pela Polônia na final do torneio e ficou com a medalha de prata, mas Douglas foi eleito o melhor ponteiro da competição e foi o quinto principal atacante do Mundial, com 150 pontos, apenas 7 a menos que Wallace, principal pontuador do Brasil naquela competição. O ponteiro também se destacou na recepção, e foi o terceiro melhor jogador nesse fundamento, com 96 recepções excelentes, caracterizadas quando passe chega "limpo" às mãos do levantador.

Na temporada de 2018/19, Douglas foi um dos principais destaques do Taubaté no título daquela edição da Superliga Masculina de Vôlei. Após conquistar seu primeiro título brasileiro, o ponteiro conquistou com o Brasil o título da Copa do Mundo de Vôlei 2019.

Ainda pelo Taubaté, o ponteiro conquistou nas temporadas 2019/20 e 2020/21 o bicampeonato da Supercopa Brasil de Vôlei, novamente sendo um dos destaques da equipe. As boas atuações no Brasil despertaram o interesse do Volley Tonno Callipo, da Itália, equipe que o jogador defende hoje ao lado dos compatriotas Maurício Borges, companheiro de seleção brasileira, e Flávio Gualberto.

Agora pela seleção brasileira nos Jogos de Tóquio, Douglas busca seu segundo ouro olímpico, agora como um jogador muito mais participativo na rotação do time e disputando posição diretamente com Yoandy Leal. Nos três primeiros jogos, o Brasil soma vitórias contra Tunísia e Argentina e uma derrota contra a Rússia. A caminhada até o topo do pódio é difícil e longa, mas o ponteiro parece pronto para ajudar o time na busca por seu quarto ouro olímpico.

personalidades

LOUD anuncia skatistas olímpicos Luiz Francisco e Pedro Quintas como talentos

Skatistas que disputarão as Olimpíadas 2020 em Tóquio são os novos talentos da organização, que estará representada na competição

personalidades

Membros da LOUD e Fluxo parabenizam Rayssa Leal pela medalha nos Jogos Olímpicos

Com apenas 13 anos, a maranhense saiu com a medalha de prata das Olimpíadas de Tóquio 2020

0

Mais Reportagens

18:05 FIFA 22: Time da Semana tem Roberto Firmino e Gnabry como destaques
17:37 Relembre as campanhas de equipes brasileiras no Mundial de LoL
16:00 Twitch tinha lista para proteger grandes streamers de serem banidos
15:46 Fortnite e Duna: Crossover traz skins dos personagens de Timothee Chalamet e Zendaya
15:38 Tier List de melhores campeões de Wild Rift no patch 2.5
15:09 Valorant alcançou menor número de cheats da historia, segundo analista da Riot
15:05 Free Fire terá item oficial da LBFF 6, saiba como ganhar
14:42 CS:GO: Skin estimada em R$ 10 mil é vendida por apenas R$ 0,22
12:36 Overwatch: Cosplayer passa 250 horas construindo rifle de Widowmaker
11:40 Fallen lança primeira coleção oficial de roupas de CS:GO em parceria com a Valve

Recomendados

Fundadora do Joga Sapatão fala sobre importância do coletivo de streamers lésbicas
Afrogames e a luta coletiva de jovens negros por mais oportunidades nos games
Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Descubra guias

Tier List de melhores campeões de Wild Rift no patch 2.5
Como chamar amigos de volta no Free Fire
Campeões, classes e origens de Bugigangas e Engenhocas, o Set 6 de TFT