Millenium / Artigos e reportagens de games / League of Legends /

Riot nega acusações de assédio sexual do CEO Nicolo Laurent após investigação

Riot nega acusações de assédio sexual do CEO Nicolo Laurent após investigação
0

A investigação foi conduzida por uma empresa de auditoria externa com supervisão da Riot e inocentou o CEO, que não sofrerá punições em relação ao caso

Na última terça-feira (16), a Riot Games inocentou Nicolo Laurent, seu CEO, das acusações de assédio sexual e má conduta feitas pela ex-secretária do executivo, Sharon O'Donnel, em janeiro. De acordo com a investigação feita por uma empresa de auditoria externa em conjunto com o Comitê Especial do Conselho Administrativo da desenvolvedora, Laurent não sofrerá nenhuma punição pelo caso.

A investigação foi realizada pela empresa Seyfarth Shaw LLP, para que tudo fosse feito de forma "imparcial e abrangente", segundo a Riot Games. De acordo com um comunicado feito na última terça-feira (16), a investigação concluiu que "não há evidências de que Laurent tenha assediado, discriminado ou retaliado O'Donnel", portanto, Laurent não sofrerá sanções. O Comitê afirmou que caso novas acusações surjam o caso pode ser reaberto e reavaliado.

"Em casos que envolvem executivos de alto escalão, reconhecemos que a dinâmica de poder muitas vezes pode dar origem a comportamentos e preconceitos que infectam a experiência de outras pessoas dentro da organização de maneiras tóxicas. Além disso, em muitos desses casos, pode ser difícil chegar a uma conclusão sobre esses tipos de alegações. A maioria dos casos dessa natureza não são em preto ou branco; eles caem em uma zona cinza. No entanto, este não foi um desses casos. Neste caso, simplesmente não conseguimos encontrar qualquer evidência que justificasse uma sanção de qualquer tipo contra Laurent", se lê no comunicado oficial da empresa.

A Riot Games afirmou que desde 2018 utiliza rigorosos métodos de investigação externa para conduzir este tipo de caso e que já demitiu funcionários relacionados a casos semelhantes.

Foi em agosto de 2018 que vieram à tona reportagens realizadas pelo Kotaku expondo a cultura machista da empresa e diversos casos de sexismo e abuso sexual.

Vale lembrar que embora tenha sido absolvido internamente pela investigação da própria Riot Games, Laurent ainda está sendo processado por O'Donnel na Suprema Corte do Estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Apesar de criarem uma corrente de força e apoio às vítimas, casos como o exposed dos esports podem ser perigosos. Saiba como fazer relatos e denunciar crimes de forma segura

0

Mais Reportagens

18:54 Kog'Maw: Runas, build e guia do campeão de LoL para jogar como atirador
12:08 Rota vs Rota CBLOL: as estatísticas de paiN e Vorax rumo a final do 1º split de 2021
09:37 Riot Games cria vagas de emprego voltadas para criação de filmes e séries de TV
08:00 Fundador do AfroGames, Ricardo Chantilly planeja expandir projeto para Cantagalo e Maré
16:44 Atualização 11.8 de LoL traz lançamento de Gwen, nerfs para Gnar, Orianna e mais campeões
16:44 As 10 melhores jogadas do CBLOL
15:25 "A Vorax é um time modelo", diz Maestro, técnico da INTZ, sobre final do 1º split do CBLOL 2021
13:21 LoL: Final da LEC bate próprio recorde com 831 mil espectadores simultâneos
11:28 Flamengo anuncia saída de Abaxial, que quer voltar a ser head coach de LoL
10:35 BOOYAH anuncia Jean Mago como novo streamer de LoL

Recomendados

Quando chega o próximo patch do LoL
Tabela 1º split CBLOL 2021: Guia com times, calendário, transmissão e mais
Tabela 1º split CBLOL Academy 2021: Guia com times, calendário, transmissão e mais

Descubra guias

Tudo sobre o passe Embalos no Espaço do LoL e suas missões
Tier list e guia dos melhores campeões de LoL
Brand: Runas, builds e guia do campeão do LoL para jogar como suporte