Millenium / Artigos e reportagens de games / Counter-Strike: Global Offensive /

CS:GO: "Só nos tornaremos um time melhor quando perdermos", disse Apoka

CS:GO: "Só nos tornaremos um time melhor quando perdermos", disse Apoka
0

Os grandes aprendizados e a evolução da line-up ex-BOOM e atual MIBR começaram, de fato, apenas na Europa com o time finalmente lidando com a derrota e identificando melhor os pontos que precisam melhorar

A BOOM realizou uma façanha para poucos no cenário brasileiro de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). A equipe já era aguardada no país com o status de estrela, mas nem o próprio elenco acreditava que faria uma temporada perfeita em 2020, vencendo literalmente todas as competições que disputou.

Vencer é sempre muito bom e é o objetivo final de todo competidor, no entanto, em entrevista exclusiva ao MGG Brasil em parceria com a Betway - site de apostas em esports que patrocina a MIBR - Alessandro "Apoka" Marcucci destacou que perder também tem um papel fundamental na linha evolutiva de um time e até o início de 2021 seu elenco não sabia o que era isso.

"Um fato curioso que eu não lembro de ter comentado em nenhum momento é que entre o nosso quarto ou quinto campeonato [no Brasil] eu falei para os meninos que nós só nos tornaremos um time melhor quando perdermos, para vermos no que a gente precisa melhorar, ver como reagiremos a uma derrota... Então eu falava para abrirmos a cabeça pois em algum momento nós perderíamos, mas a gente simplesmente não perdeu... Isso nos pegou um pouco de surpresa porque no Brasil tem times muito fortes e nós conseguimos fazer um baita de um trabalho."

Antes do próprio treinador, Ricardo "Boltz" Prass admitiu que esperava uma boa passagem pelo Brasil, mas não ser "basicamente perfeito o ano inteiro":

"Pelos jogadores que a gente tinha e pela experiência de jogar lá fora, nós sabíamos que conseguiríamos ser o time top 1, mas talvez não tão dominante, de jogar 10 campeonatos e ganhar os 10", disse Boltz. "Isso pegou todos de surpresa e até nós mesmos", completou.

esports-csgo

O sonho que se tornou realidade: a história da MIBR no CS

A trajetória da organização carioca que conquistou o carinho dos brasileiros e cresceu para mais tarde ser uma das figuras mais importantes do cenário de CS

Após construir um reinado no Brasil, o panorama do time mudou bruscamente. A começar pela saída de Joao "felps" Vasconcellos, considerado uma das peças mais importantes da passagem impecável pelo solo verde e amarelo. Também aconteceram a mudança de organização, a entrada de um novo jogador e a mudança para Europa - considerada a região mais forte e avançada no planeta quando o assunto é CS:GO.

Sobre a saída de felps, Boltz deixou claro que não teve a ver com a MIBR pois o fato aconteceu antes da proposta da organização e, além disso, foi uma decisão totalmente dele. Já Apoka comentou o impacto desta perda no elenco: "Ele [felps] fez e faz muita falta. Era um time que a gente estava tentando treinar e sempre falando que chegaria a hora de jogar lá fora, mas acho que acabou demorando e quando essa hora finalmente chegou o felps não estava mais com a gente".

A alteração na line-up que hoje atende por MIBR viu a entrada de Daniel "danoco" Morgado, para ocupar a vaga de felps. Apoka contou que outros jogadores foram testados e explicou que a maioria no Brasil ainda precisaria ser bem lapidada pela pouca experiência fora do país e a discrepância do nível para o cenário internacional. Segundo boltz, foi danoco que "mais agradou nos treinos, na postura, questão de gameplay, vontade e mais".

Os próximos passos da nova escalação nesta nova fase são vistos mais como aprendizados e adaptação. Neste sentido, voltamos a fala de Apoka sobre se tornar uma equipe melhor aprendendo com as derrotas - e as primeiras vieram somente neste início de ano.

Sendo assim, neste clima de aprender e encaixar o próprio danoco que ainda está aprendendo a jogar em um elenco que já estava junto há um ano, já era esperado que a MIBR não emplacasse um início de ano brilhante. Mas os primeiros resultados como vitórias sobre Fnatic e FaZe, tirar um mapa da Na'Vi e conseguir partidas duras contra Team Liquid e Heroic, começaram a aparecer.

Enquanto a torcida acompanha a evolução dentro de jogo, há também um grande esforço sendo feito nos bastidores. Ao assumir a diretoria da MIBR, Yuri "Fly" Uchiyama introduziu a ideia de criar uma comissão técnica robusta. Apoka também reforçou a ideia, chamou atenção para as contratações de Renato "nak" Nakano e um psicólogo e afirmou que mais novidades podem pintar em breve.

"Assim como o Fly falou, aos poucos a gente quer adicionar e acredita neste trabalho multidisciplinar. Já pensamos em nutrição, cozinheiros, treinamento físico..."

Até mesmo os pro players podem dar as boas-vindas a um novo companheiro em breve: "Antes da gente ter o quinto player já falamos abertamente sobre a ideia de termos seis jogadores. A forma como vamos fazer isso é algo mais interno até porque não sabemos como tudo vai acontecer, mas temos sim esta ideia de termos seis players na rotação".

De acordo com o que foi falado, podemos esperar uma família MIBR cada vez mais robusta. Até lá, a equipe corre atrás da evolução com o que tem e já encara um calendário recheado de grandes competições e adversários. Após as disputas do CS_Summit 7, BLAST Premier Spring Groups 2021 e o Play-in da IEM Katowice, o time já está confirmado na ESL Pro League Season 13, que acontece entre 8 de março e 11 de abril.

esports-csgo

Liquid, FURIA e MIBR voltam a subir no ranking da HLTV

O CS:GO brasileiro está em festa nesta segunda (22), após tantas equipes com brasileiros alcançarem postos mais altos no ranking da HLTV. A Liquid retomou o top 5, a FURIA o top 10 e a MIBR está de volta a primeira página da tabela mundial

esports-csgo

FURIA vs MIBR é o clássico que decidirá a final da Grrrls League

A FURIA garantiu a vaga na final após derrotar a Havan, enquanto a MIBR cravou presença na decisão depois da vitória sobre a Black Dragons

esports-csgo

Fallen, Cold, Fer e TACO estão entre os jogadores que mais ficaram no topo do ranking da HLTV

Quarteto bicampeão mundial em 2016 por Luminosity e SK Gaming passou 56 semanas em 1º lugar

0

Mais Reportagens

12:26 Pro player de 63 anos diz que jogar CS é mais produtivo do que ver TV
11:00 Onde estavam os membros do Last Dance antes da reunião do time de CS:GO?
12:00 Fallen é o segundo AWPer com mais abates na história dos grandes eventos do CS:GO
14:10 Fallen oficializa "Last Dance" em vídeo e indica Fer, fnx e Boltz na lineup de CS:GO
12:44 MIBR estreia contra NAVI na BLAST Spring Groups de CS:GO
19:07 00Nation anuncia contratação de MalbsMD e saída de TRK da equipe de CS:GO
16:12 Gaules sonha em transmitir Copa do Mundo, Olimpíada, X-Games e outros eventos
15:25 Apoka se aposentará como técnico de CS:GO para se dedicar às streams
13:42 Imperial é a favorita a fechar com "Last Dance" de Fallen, Fer e companhia
18:02 LOUD foi o time mais mencionado no Twitter em 2021; lista inclui paiN e FURIA

Recomendados

Os 7 maiores jogadores brasileiros de CS:GO (até agora)
Quais são as piores armas do CS:GO? Pro players opinam
"O time que eu estiver será o melhor" e outras frases marcantes da história do CS

Descubra guias

Comandos para treinar e como montar sua configuração no CS:GO
Todas as patentes e ranks do CS:GO
Dicionário CS:GO: O glossário completo de termos e gírias