Millenium / Artigos e reportagens de games / Rainbow Six Siege /

"Sentimos que o time havia estagnado", diz Nesk sobre mudanças na Team Liquid

"Sentimos que o time havia estagnado", diz Nesk sobre mudanças na Team Liquid
0

Vice-campeã mundial em 2021, Liquid passou por processo de renovação após Six Major México. Para Nesk, comunicação é o aspecto mais importante a ser trabalhado

Vice-campeã do Six Invitational 2021 e atual campeã brasileira, a Team Liquid é uma das favoritas ao título da edição de 2022 do Mundial de Rainbow Six Siege. Após a eliminação para a Team One nas semifinais do Six Major México, em agosto do ano passado, a Cavalaria passou por duas mudanças na lineup, com as chegadas dos jovens Gabriel "Ask" e Pablo "Resetz" nos lugares Thiago "S3xyCake" e João "Muringa". Após um período de adaptação, com a Cavalaria não conseguindo vaga no Six Major Suécia, a equipe fechou a temporada em alta, com o título do Brasileirão após vitória sobre a NIP na grande final.

Ainda assim, o grande objetivo da Team Liquid com as mudanças na formação era chegar com a equipe fortalecida para a disputa do Six Invitational 2022, competição mais importante do Rainbow Six. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, André "Nesk" destacou que o time precisava passar por essas mudanças para evoluir e chegar fortalecida para o Invi.

“Tudo começou depois do Major do México. Nós optamos por mudar a lineup, porque chegamos num ponto em que estagnamos por muito tempo. Como já estávamos classificados para o Invitational, sentimos que era o momento para testar algumas mudanças e tínhamos esses dois jogadores em mente: o Ask e o Resetz. Tivemos tempo para nos adaptar. Acabamos não nos classificando para o Major da Suécia, mas sabíamos que era normal não nos classificarmos devido ao pouco tempo da lineup", destacou.

"Nosso foco era totalmente para o Invitational, mas nesse período acabamos ganhando o Brasileirão. Nós tivemos uma preparação mais específica contra a NIP, mas o foco sempre foi o Invi. Sabíamos que tínhamos bastante tempo, e que se havia uma hora para fazer mudanças no time, era depois do Major do México, pois teríamos mais de 6 meses par nos prepararmos para o maior campeonato do R6."

Paluh alerta para adaptação de equipes estrangeiras

Eleito o melhor jogador de Rainbow Six do mundo em 2021, Luccas "Paluh" ainda considera o cenário brasileiro o mais forte do FPS da Ubisoft, mas alerta para o fato de que as equipes estrangeiras têm se adaptado e considera que elas podem ser ameaças reais na busca do Brasil pelo título do Six Invitational 2022, especialmente pelo fato de outras regiões estarem, em alguns aspectos, "copiando" o estilo de jogo dos braisleiros.

"Eu acho que os times brasileiros não estão jogando mal e continuam num nível muito alto, mas os times de outras regiões também melhoraram muito, com vários times inclusive copiando coisas das equipes brasileiras, tentando replicar e chegando muito fortes. A DAMWON é um grande exemplo disso, tendo despontado ali no Major do México e hoje sendo uma das grandes favoritas ao título. Quando você é a melhor região, todos os outros times tendem a ver o que você faz e, de certa forma, copiar. Demorou para isso acontecer, mas uma hora chega", opinou.

Tanto no Six Invitational 2021, quanto no Six Major México, a Team Liquid teve nas equipes brasileiras uma pedra no sapato. No Invi, a equipe foi enviada à chave inferior dos playoffs pelo MIBR, e derrotada na final pela Ninjas in Pyjamas. No Major, a eliminação veio numa derrota nas semifinais para a Team One. Capitão da Cavalaria, Ask reconhece que os times brasileiros são hoje os adversários mais duros para a Liquid, mas considera que várias equipes estrangeiras também estão no páreo da briga pelo título.

"Acredito que os times brasileiros sejam sim uma pedra no sapato, até porque a gente convive todo dia no nosso cenário, então tem muito jogo contra, com as mesmas táticas sendo estudadas, sendo counterado (contra-atacado), então é sempre um jogo muito difícil de se ganhar. Mas também acredito que times como DAMWON, BDS, Spacestation e Empire são times que podem atrapalhar o caminho dos brasileiros, pois são equipes muito fortes do cenário internacional, e acho que é uma briga constante de adaptação, e quem errar menos, ganha", frisa.

Por fim, Paluh destacou a grande renovação de talentos no cenário brasileiro de Rainbow Six, algo que o jogador observa menos em regiões como a América do Norte, por exemplo. Para o jogador da Liquid, este é um diferencial dos times brasileiros, que não costumam ter medo de arriscar na busca por novos talentos.

"Eu não sei como é (a renovação de jogadores) nas outras regiões, mas o NA (América do Norte), por exemplo, tende a sempre buscas os mesmos jogadores, você não vê uma renovação tão grande. Talvez seja isso que deixe o cenário deles um pouco estagnado, porque são sempre os mesmos nomes que eles tentam buscar", destaca.

"Não é que eles sejam jogadores ruins, mas a gente não vê eles buscarem um novo jogador, apostarem numa promessa, alguém que se destaca numa ranked, e no Brasil já não é assim. Talvez porque a gente tem muito contato como pessoal no TS (servidor TeamSpeak), então a gente acaba criando essa relação e vendo quando um jogador é realmente bom, e eu não sei se isso existe tanto nas outras regiões. Acho que esse é o nosso diferencial, pois realmente acabamos buscando jogadores que estão ali se destacando nas rankeds."

esports

Six Invitational 2022: "Todos os times mudaram muito a forma de jogar", diz Psycho

Campeão mundial em 2021, capitão da Ninjas in Pyjamas considera equipes brasileiras favoritas ao título, mas faz alerta sobre força de outras regiões

esports

Six Invitational 2022: "O título do Major mostrou o quanto somos capazes", diz Astro

Jogador da FaZe Clan mostrou confiança mesmo após estreia com derrota para a Spacestation e acredita que equipe é uma das candidatas a título do Mundial de Rainbow Six

esports

Santos e-Sports é processado por 2 jogadores por irregularidades trabalhistas

Hawk, jogador de League of Legends, e Destiny, de Rainbow Six Siege, moveram ações contra o Santos e a Select, empresa que licenciava a marca do clube nos esportes eletrônicos

0
Gabriel SALES
Gabriel Sales

Jornalista apaixonado por games desde o jardim de infância e fã de quase todo tipo de RPG, especialmente os da série Chrono. Nos esports, shooters e jogos de luta são minhas maiores paixões, mas abraço qualquer jogo com uma cena competitiva pulsante.

Mais Reportagens

11:00 Brasileirão R6: W7M assume liderança do 2º turno: FaZe se aproxima do top 4
12:15 Black Dragons e Team One dividem liderança do Brasileirão R6; NIP sobe na tabela
16:46 Rainbow Six: Major de agosto será disputado em Berlim
18:00 Team Liquid anuncia loja oficial no Brasil com novas coleções e colaboração com Fortnite
11:14 Brasileirão R6: Team One e Black Dragons começam 2º turno com 2 vitórias
17:36 Segundo turno Brasileirão R6 começa em 18 de junho com partidas presenciais
11:00 Política de aprovação de visto nos EUA prejudica eventos de esports realizados no país
10:57 Rainbow Six: Julio anuncia saída da Ninjas in Pyjamas e está aberto a propostas
17:19 Dia do Orgulho Nerd: os 10 personagens mais nerds do LoL, Valorant, Overwatch e mais
16:00 Time de milhões: as 10 organizações mais valiosas dos esports

Recomendados

Mudando de vida: como Free Fire e LoL trouxeram novas perspectivas para a favela
PogChamp, LUL, Kappa: O significado e origem dos memes dos esports
Conheça os jogos que foram sucessos ou fracassos na história dos games

Descubra guias

Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
Conheça os operadores mais banidos no competitivo de Rainbow Six
Dicionário Rainbow Six: O glossário completo de termos e gírias