Millenium / Artigos e reportagens de games / Valorant /

Valorant First Strike: Matheuzin celebra quebra de tabu da Pain contra Imperial

Valorant First Strike: Matheuzin celebra quebra de tabu da Pain contra Imperial
0

Um dos principais destaques da partida, jogador elogiou força de sua equipe no evento presencial: "Na lan, mostramos quem é o melhor time"

Valorant First Strike: Matheuzin celebra quebra de tabu da Pain contra Imperial

A vitória da Pain Gaming contra a Imperial pelas quartas de final do Valorant First Strike pôs fim a um pequeno tabu, uma vez que a equipe de Matheus "Matheuzin" Brit, um dos principais destaques da PNG na partida, nunca havia batido os adversários desta sexta-feira, com um retrospecto de duas derrotas em dois jogos até então.

Na avaliação de Matheuzin, a chave para a vitória que garantiu a Pain nas semifinais do torneio, onde medirá forças com a Havan Liberty por uma vaga na grande decisão, passa pela eliminação de erros cometidos nos duelos anteriores contra a Imperial, além da experiência dos jogadores em eventos presenciais.

"Nós sentamos, revimos os jogos, adaptamos algumas coisas e mudamos outras nos nossos mapas, principalmente na Split, onde eles tendem a falar que são os melhores do Brasil, e aqui na lan não foi isso que aconteceu. Então, tem um sabor diferente por conta disso. Trabalhamos em cima dos nossos erros nas duas derrotas anteriores, soubemos o que tirar de bom dessas derrotas, chegamos na lan e mostramos quem é o melhor time", comemorou.

Matheuzin também destaca outra mudança fundamental para a superioridade de sua equipe no mapa Split, vencido pela Pain com um elástico placar de 13 a 4: o fato de fato de murizzz ter jogado com a agente Jet. Ele considera que a escolha trouxe confiança ao time, especialmente pelo desempenho nos treinos, e frisa que esse foi um fator que surpreendeu a Imperial no mapa decisivo da série MD3.

"A gente fez essa mudança na composição, colocando o murizzz como Jet, porque ele consegue ter um impacto gigante no mapa. Essa pequena mudança fez muita diferença para chegarmos aqui e ganharmos a Split deles", resume.

Sobre o duelo contra a Havan Liberty, que avançou às semifinais após a desclassificação da Vorax Fusion em função de dois casos de Covid-19 no elenco, Matheuzin considera que o fato de os adversários deste sábado ainda não terem feito sua estreia em lan dentro do First Strike pode representar uma vantagem para a Pain, que já irá para o jogo mais aquecida.

"Acredito que possa ser um pouco ruim para eles, por eles não terem feito essa estreia ainda. Eu não conheço muito os meninos da Havan, então não sei como é a experiência deles em lan. Para a gente já foi algo mais tranquilo, por mais que tenha sido a estreia, então acredito que isso possa influenciar um pouco negativamente para eles, por estarem jogando a primeira partida em lan (no torneio)."

Sobre a preparação para o duelo contra a Havan, Matheuzin ressaltou que todo o foco da equipe estava voltado para a partida contra a Imperial, e que apenas após a confirmação da vaga na semifinal os jogadores da Pain iniciaram um estudo mais aprofundado sobre os rivais deste sábado.

"Ainda não temos nada preparado. Vamos ver hoje (sexta) e amanhã (sábado) para fazermos a melhor preparação possível contra eles. E é basicamente isso, porque nós nunca jogamos contra eles, então não dá para saber muito o que esperar, até porque tem time que joga de um jeito contra X e Y, então tudo vai depender muito da nossa leitura dentro do jogo. Quando começarmos a sentir o jogo, veremos o que eles gostam de fazer, e vai ser mais ou menos isso", projeta.

Do outro lado da chave, Gamelanders, cotada como principal favorita ao título da competição, e B4, que deixou ótima impressão após atropelar a Nimo One nessa sexta-feira, medem forças por uma vaga na final. Matheuzin reconhece a força das duas equipes, mas não acredita na ideia de favoritismo na grande decisão do First Strike.

"Acho que essa história de favoritismo não importa, principalmente na final. Quem chegar mais preparado vai ganhar. Em relação a B4 e Gamelanders, acho que vai ser um jogo bem pegado. A molecada da B4 tem uma experiência bem grande em lan, e a Gamelanders, querendo ou não, vem sendo o melhor time do Brasil, então o time que ganhar lá pode sim ser o campeão."

Como jogar com os agentes de smoke no mapa Icebox de Valorant

Aprenda algumas smokes interessantes para incrementar seu jogo e saiba como agir com Omen e Brimstone ou até mesmo Viper e Cypher no mapa gélido do FPS da Riot Games

esports-valorant

"Grande perda pro torneio", diz Nyang sobre ausência da Vorax no Valorant First Strike

Nyang da Gamelanders comentou sobre a desclassificação da Vorax Fusion do Valorant First Strike e lamentou o acontecido

0

Mais Reportagens

10:00 Streamer de nível Radiante é banido ao vivo de Valorant pelo Riot Vanguard
19:34 Organização britânica anuncia line-up feminina brasileira de Valorant
17:22 Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
12:21 Valorant: Atualização 2.07 traz buff em Astra e mudanças em Viper e Raze
12:00 Valorant: Sentinels negocia com Cloud9 extensão do empréstimo de TenZ
14:00 Valkyrae e CouRageJD se tornam coproprietários da 100 Thieves
18:01 Valorant: Bug permite que jogadores ativem câmera de Cypher no ar
19:54 Qual é o futuro das loot boxes no Brasil?
11:44 Com INTZ, Gamelanders e mais, participantes do Girl Pwr Valorant são definidos
19:04 Valorant: Gamelanders, Havan, Ingaming e SEMORGAINDA garantem vaga no VCT Challengers

Recomendados

Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
Por que Valorant conquistou jogadores de diversas comunidades diferentes

Descubra guias

Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
4 jogos viciantes que os pro players usam para treinar
Tudo sobre elos e o sistema de partidas ranqueadas