Millenium / Artigos e reportagens de games / Counter-Strike: Global Offensive /

CS:GO: ESIC descobre evidência de fraude em partida do RMR CIS

CS:GO: ESIC descobre evidência de fraude em partida do RMR CIS
0

Ex chefe dos jogadores da Akuma teria apostado na equipe em partida contra a Virtus Pro. Jogadores são acusados de terem usado cheat durante o torneio

CS:GO: ESIC descobre evidência de fraude em partida do RMR CIS

Após as diversas envolvendo a equipe da AKUMA na EPIC CIS League Spring 2021 de CS:GO, primeiro evento RMR da Comunidade dos Estados Independentes nesta temporada, a Comissão de Integridade nos Esports (ESIC, na sigla em inglês), parece ter descoberto as primeiras evidências de fraude no evento que conta pontos no ranking classificatório para o Major de Estocolmo. A ESIC, inclusive, já encaminhou esses indícios de potencial match-fixing (combinação de resultados) e apostas ilegais para análise da Valve, por se tratar de um evento com suporte da desenvolvedora.

Em comunicado publicado nesta, a ESIC diz que Oleksandr Shyshko, CEO da Project X e ex-chefe dos cinco jogadores do elenco atual da Akuma, teria feito uma série de apostas na vitória da Akuma sobre a Virtus Pro em partida válida pela semifinal da chave dos vencedores.

A Akuma era uma zebra na partida, enquanto a VP era apontada como uma das principais favoritas ao título da Epic League, ao lado de Gambit Esports, Natus Vincere e Team Spirit. Ainda assim, a Akuma venceu por 2 a 0, como já havia feito nas quartas de final da chave dos vencedores contra a NaVi. No fim da competição, 14 das 16 equipes participantes da EPIC League entraram com pedidos de investigação contra a Akuma, cuja postura durante os jogos foi considerada suspeita e rendeu acusações de trapaça durante as partidas.

De acordo com a investigação da ESIC, Oleksandr Shyshko já fazia apostas consideradas suspeitas na lineup da Akuma desde os tempos em que Alexandr "Psycho" Zlobin, Sergey "Sergiz" Atamanchuk, Dmitriy "SENSEi" Shvorak, Yevhenii "7oX1C" Motsevy e Igor "w0nderful" Zhdanov defendiam a Project X

Nas redes sociais, foram compartilhados pela comunidade diversos mostrando que os jogadores da Akuma estariam olhando para um suposto monitor extra que daria a eles informações importantes sobre seus adversários. Como a GOTV, plataforma usada nas transmissões oficiais, não tinha qualquer tipo de delay em relação ao que ocorria em tempo real durante os jogos, esse monitor mostraria, por exemplo, toda a movimentação, armamento e economia das equipes adversárias da Akuma durante a competição.

Além disso, a EPIC League não gravava a comunicação das equipes durante o torneio nem utilizava um anti-cheat próprio para diminuir o risco de trapaça, algo tido como padrão em toda grande competição oficial de CS:GO.

No fim, a Akuma terminou a competição em terceiro lugar, à frente de equipes como Team Spirit (4º) e Natus Vincere (5º), e as demais equipes participantes do torneio se uniram numa queixa conjunta, acusando a Akuma de usar "dados ao vivo de terceiros em aparelhos externos para ganhar uma vantagem injusta de ver a posição dos adversários no mapa a todo momento". Ainda assim, a Russian Esports Federation disse não ter encontrado evidências de uso de cheat durante o torneio, enquanto a Valve não se manifestou na época.

Todas as evidências foram coletadas pela ESIC via Suspicious Betting Alert Network, um serviço utilizado para identificação de apostas consideradas suspeitas, sejam elas relacionadas a grandes valores apostados numa equipe considerada zebra em um duelo ou placares extremamente elásticos, por exemplo.

Uma vez que a EPIC não é uma empresa parceira da ESIC, o que impede que a comissão aplique sanções contra a Akuma e outras equipes mesmo que o uso cheat ou match-fixing seja comprovado, a Comissão de Integridade nos Esports encaminhou todas as evidências coletadas à Valve, por se tratar de um evento RMR, e a outras organizadoras de torneio parceiras, como BLAST, DreamHack e ESL.

No comunicado, a EPIC recomenda ainda que essas empresas não aceitem a participação da Akuma, de qualquer que tenha três ou mais jogadores da lineup atual da Akuma ou qualquer time ligado a Oleksandr Shyshko.

CS:GO: Prime gratuito é retirado do jogo e partidas não ranqueadas terão matchmaking

A partir de agora, os jogadores precisarão pagar para adquirir XP, subir de nível e ganhar patentes

Youtuber compra skin de CS:GO por mais de R$ 650 mil

O youtuber Prodigy comprou a skin AWP Medusa, com o segundo menor float do mundo e adesivos Titan Holo Katowice 2014, por R$ 658 mil

esports

Conheça as maiores viradas da história dos esports

Relembre momentos que ficaram marcados na história de jogos como CS:GO, LoL, Dota 2, Rainbow Six, Street Fighter e outros títulos

0

Mais Reportagens

18:07 CS:GO: MIBR, Sharks e Team One são convidadas para a Pinnacle Cup
17:02 Jogador cria gráfico com probabilidade de vencer o pistol em cada mapa de CS:GO
15:47 CS:GO: Coldzera é o jogador com melhores números da história dos Majors
15:35 Red Bull Flick reúne pro players e amadores em desafios 2x2 de CS:GO
12:36 CS:GO: Olofmeister volta a ser titular da FaZe pela quinta vez
17:47 O setup dos sonhos dos pro players de CS:GO, Valorant, R6 e Fortnite
13:57 CS:GO: FURIA e MIBR se enfrentam na final da Aorus League feminina
17:14 CS:GO: Chelo testa negativo para Covid e viajará com a MIBR para a IEM Cologne
14:38 CS:GO: FURIA, MIBR, BD e Aorus Vision avançam aos playoffs da Aorus League feminina
15:02 O Plano, GODSENT e Pain são convidadas para a DreamHack Open 45 NA

Recomendados

Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
"O time que eu estiver será o melhor" e outras frases marcantes da história do CS
Sete jogadoras para ficar de olho no cenário feminino de CS:GO e Valorant

Descubra guias

CS:GO: Comandos para treinar e como montar sua configuração
Todas as patentes e ranks do CS:GO
Dicionário CS:GO: O glossário completo de termos e gírias