Millenium / Artigos e reportagens de games / PUBG /

PUBG Mobile: goodZiN é suspenso por 1 ano de torneios após fazer comentário racista

PUBG Mobile: goodZiN é suspenso por 1 ano de torneios após fazer comentário racista
0

Jogador também teve contrato com a INTZ rescindido após proferir injúrias raciais em entrevista

PUBG Mobile: goodZiN é suspenso por 1 ano de torneios após fazer comentário racista

O jogador de PUBG Mobile Lucas "godZiN" Martins foi suspenso por 1 ano de todas as competições oficiais do battle royale e teve seu contrato com a INTZ rescindido após proferir comentários racistas durante uma entrevista após partida pela PUBG Mobile Pro League (PMPL). No último domingo (4), goodZiN se referiu a um outro jogador como "preto filho da p***" em uma entrevista ao podcast DropCast, do cantor e streamer "FerzoteTV".

Nesta terça-feira, o time de esports da PUBG Mobile publicou um comunicado informando o suspensão por 1 ano do jogador de qualquer evento competitivo oficial. No comunicado, empresa cita o artigo 6.3.3 do regulamento da PMPL, que prevê a suspensão de atletas ou membros de staff que proferirem comentários racistas.

Após ser repreendido pelo apresentador do DropCast, goodZiN continuou proferindo comentários de cunho racista, referindo-se à pessoa ofendida por ele como um "cara marrom". Além disso, alguns companheiros de time de goodZiN, embora tenham pedido para ele parar com os comentários, riram da situação na hora. Após tomar conhecimento do caso, a PUBG Mobile confirmou a suspensão de goodZiN.

"No dia 04/04, após as partidas pela PMPL Brasil, alguns membros da equipe da INTZ deram entrevista a um canal na Twitch. Durante essa entrevista, um dos jogadores da INTZ, o Goodzin, proferiu insultos racistas a outro jogador de PUBG MOBILE. Frente à prova irrefutável de tal conduta, levando em consideração a natureza das palavras usadas, a Tencent Games decidiu punir com um ano de suspensão em torneios oficiais o jogador, tendo efeito imediato, e utilizando como base o artigo 6.3.3 do regulamento da PMPL Brasil", informa.

Ao citar o artigo, a PUBG Mobile destacou: "Os Membros da Equipe não podem ofender a dignidade ou integridade de um país, pessoa ou grupo de pessoas, por meio de palavras ou ações desdenhosas, discriminatórias ou que difamam, devido à raça; cor da pele; origem étnica, nacional ou social; gênero; idioma; religião; opinião política ou qualquer outra opinião; status financeiro, nascimento ou qualquer outro status; orientação sexual; ou por qualquer outra razão.”

"A Tencent Games reitera que não compactua com qualquer conduta discriminatória e presta solidariedade à vítima de ofensa. Pedimos também que, ao presenciar condutas parecidas como a que está em pauta agora, denuncie à organização do torneio. Pessoas com senso de cidadania e respeito ao próximo não devem compactuar, disseminar ou replicar discursos que promovam discriminação racial ou de qualquer outra forma", conclui a empresa em nota.

Mesmo após tomar conhecimento da suspensão, goodZiN não se desculpou pelos comentários racistas. Em suas redes sociais, ele se limitou a dizer que não iria comentar o caso e agradeceu as pessoas que prestaram apoio a ele, e ainda acrescentou que em breve voltará ao competitivo.

"Não vou ficar postando nada porque pode dar uma m**** maior. Vou dar um tempo do game e logo estou de volta. Obrigado pelo apoio", disse.

INTZ rescinde contrato e oferece processo de reeducação

Em comunicado, a INTZ informou que decidiu rescindir o contrato com goodZiN, mas que ofereceu ao agora ex-jogador da organização um "processo de reeducação e conscientização", que será coordenado por um setor responsável do clube.

"Perante a gravidade dos termos utilizados pelo jogador de PUBG Mobile, goodZiN, ao se referir a um companheiro de competição durante a participação no podcast DropCast, comunica-se: Após avaliação interna do caso pelo departamento de Recursos Humanos do INTZ, foi decidido rescindir imediatamente o contrato do jogador Lucas “goodZiN” Martins. Apesar do encerramento do vínculo contratual, foi oferecido ao jogador um processo de reeducação e conscientização coordenado pelo departamento responsável", disse a INTZ.

esports

PUBG anuncia calendário competitivo para a temporada de 2021

Além do PUBG Global Invitational S, Continental Series contará com duas edições em várias regiões do mundo, e as melhores equipes disputam o Global Championship, em novembro

PUBG Mobile e Projeto Valkirias criam torneio feminino com R$ 48 mil de premiação

Em parceria com o Projeto de Valkirias, PUBG Mobile terá um torneio feminino com R$ 48 mil de premiação

0

Mais Reportagens

17:22 Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
14:42 PUBG Mobile: goodZiN é suspenso por 1 ano de torneios após fazer comentário racista
12:28 Microsoft quer comprar Discord por mais de US$ 10 bilhões, diz site
13:23 PUBG Mobile e Projeto Valkirias criam torneio feminino com R$ 48 mil de premiação
13:27 PUBG Mobile Club Open terá Toboco como host e times de Richarlison e Douglas Costa
12:29 PUBG Global Invitational S: FURIA avança às finais da semana 1
13:51 PUBG anuncia calendário competitivo para a temporada de 2021
13:41 B4 anuncia João Cozac como novo psicólogo da organização
12:29 PUBG Global Invitational terá bolão com financiamento coletivo para aumento de premiação
18:45 Brasileira Alpha7 termina mundial de PUBG Mobile na 9ª posição

Recomendados

Qual é o futuro das loot boxes no Brasil?
Afrogames e a luta coletiva de jovens negros por mais oportunidades nos games
Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Descubra guias

Aim Lab: Como usar para treinar mira no Valorant, CS:GO e outros jogos de tiro
As funções de cada jogador do modo esquadrão nas partidas competitivas de PUBG
Dicionário PUBG: O glossário completo de termos e gírias