Millenium / Artigos e reportagens de games /

Pesquisa revela que 68% dos americanos já sofreram assédio extremo em jogos online

Pesquisa revela que 68% dos americanos já sofreram assédio extremo em jogos online
0

Relatos vão de denúncias de assédio sexual a ameaças de violência física. Ao todo, 22% dos entrevistados abandonaram qualquer tipo de jogo online

Pesquisa revela que 68% dos americanos já sofreram assédio extremo em jogos online

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelas organizações ADL e Newzoo revela que 68% dos americanos que jogam online já sofreram assédio extemo enquanto participavam de alguma partida online. O levantamento também revelou que 22% dos entrevistados decidiram abandonar o ambiente de jogos online de forma definitiva por causa de assédios ou ameaças.

O estudo é uma parceria da ONG ADL, que realiza trabalhos de combate a condutas de ódio na internet, com a Newzoo. O levantamento ouviu 1 mil pessoas entre 18 e 45 anos e englobou 17 jogos com grandes comunidades, como DOTA 2, Valorant, Counter-Strike, Global-Offensive, PUBG, World of Warcraft, Overwatch e GTA.

Quando são considerados também assédios mais leves, como ofensas relacionadas ao desempenho dos jogadores, 81% dos entrevistados revelaram ter sofrido algum tipo de ataque, uma alta de sete pontos percentuais em relação à pesquisa do ano passado.

Entre os games nos quais assédios de qualquer tipo são mais recorrentes, DOTA 2 e Valorant lideram, com 80% dos entrevistados relatando que já sofreram algum tipo de ataque. Outros games que se destacam negativamente nessa estatística são Rocket League (76%), GTA (76%), Call of Duty (75%) e CS:GO (75%). Vale destacar que DOTA 2 também liderou as denúncias de assédio na pesquisa de 2019.

O levantamento também revela que, entre os entrevistados, 51% já sofreram algum tipo de ameaça de violência durante as partidas, 53% foram vítimas de algum tipo de discriminação e 41% foram alvo de assédio sexual.

Entre os games que sofreram maior mudança no comportamento da comunidade, as mudanças mais significativas ocorreram em jogos da Blizzard.

Em Hearthstone, 71% dos jogadores sofreram algum tipo de assédio em 2020, contra 57% em 2019. Em Overwatch, o movimento foi na direção oposta, com 62% dos jogadores reportando ataques, um número que, apesar de alto, representa uma queda significativa em comparação aos 75% registrados no ano passado.

A pesquisa também revelou que dos 17 jogos pesquisados, apenas um teve menos de 50% de relatos de assédio entre os jogadores entrevistados: Animal Crossing. No caso do game da Nintendo, 36% dos entrevistados revelaram ter sofrido algum tipo de ataque, o que não deixa de ser um número alarmante, já que o título possuir uma natureza mais colaborativa do que competitiva.

Não existe conexão entre violência e videogames, diz pesquisa

Podemos jogar CS:GO, Rainbow Six, Call of Duty, GTA e afins em paz!

esports

Habilidade nos games têm ligação com inteligência, diz pesquisa

E ainda dizem que eSports não dá futuro!

0

Mais Reportagens

20:30 Quando a MIBR joga?
20:22 Quando a FURIA joga?
19:59 LoL: Nemesis defende base sozinho jogando de Yone e vence partida no server coreano
19:47 Xeppaa deixa o cenário de CS:GO para jogar Valorant, pela Cloud9
18:53 Leona: Runas, builds e guia da campeã de LoL para jogar como suporte
18:32 LoL: Robo provoca Armut, topo da MAD Lions, adversária do CBLOL no MSI 2021
17:09 Gwen Top: Runas, build e guia da campeã de LoL
16:58 LoL: Vietnã não participará do MSI 2021
15:58 Finais da LBFF 4 tiveram terceiro maior pico de audiência do mundo em março
15:13 FURIA vence Black Dragons e conquista mais um título da Liga Feminina GC

Recomendados

Qual é o futuro das loot boxes no Brasil?
Afrogames e a luta coletiva de jovens negros por mais oportunidades nos games
Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Descubra guias

Tier List de melhores campeões de Wild Rift no patch 2.2a
Agenda completa de quando o FalleN joga pela Team Liquid
Quando a MIBR joga?