Millenium / Artigos e reportagens de games /

Metas, comportamento e saúde mental: entenda as diferenças entre um psicólogo e um mind coach

Metas, comportamento e saúde mental: entenda as diferenças entre um psicólogo e um mind coach
0

Afinal, o que diferencia o trabalho destes profissionais no âmbito dos esportes eletrônicos?

Metas, comportamento e saúde mental: entenda as diferenças entre um psicólogo e um mind coach

Por conta das rotinas exaustivas, os profissionais de esports - que contam com blocos de treinos, análises de partidas e pressão em épocas de torneios - precisam de um acompanhamento mental para que tenham boa performance nos campos de batalha.

Assim, organizações brasileiras e estrangeiras têm mostrado interesse em investir no campo psicológico e mental; para assim trabalhar melhor o potencial dos jogadores.

Por mais que as duas profissões - mind coach e psicólogo - cuidem do campo cognitivo dos atletas, a diferença é nítida para os profissionais da área. De acordo com um texto publicado pelo Conselho Federal de Psicologia sobre a psicologia do esporte e coaching, a prática realizada por coaches está fora da área de atuação da pesquisa psicológica, apesar de beber da fonte deste campo de ciência.

PaiN é uma das equipes de League of Legends que trabalha com mind coach. Foto: Reprodução - Millenium
PaiN é uma das equipes de League of Legends que trabalha com mind coach. Foto: Reprodução

Mas e dentro do esport, como funcionam tais profissões?

O MGG conversou com Alessandra Dutra (ex-psicóloga da Red Canids Kalunga), Leandro Martins (ex-mind coach da Keyd e Operation Kino) e Rafael “Psi” Pereira (ex-psicólogo da CNB e Preparando Campeões) para entender suas atuações dentro do esporte eletrônico.

Alessandra Dutra foi a primeira mulher a subir no palco do Campeonato Brasileiro de League of Legends. Foto: Riot Games/Reprodução - Millenium
Alessandra Dutra foi a primeira mulher a subir no palco do Campeonato Brasileiro de League of Legends. Foto: Riot Games/Reprodução

Capaz de melhorar o desempenho dos pro players por meio da promoção da saúde mental, lidando com questões clínicas e comportamentais que podem ser geradas por conta da rotina do esport, os psicólogos do esporte são essenciais para buscar uma performance melhor da equipe em diversos setores - justamente por abranger diversos pontos de uma vez só.

Segundo Alessandra, que trabalha a mais de 23 anos com esportes tradicionais e que também assumiu a responsabilidade de lidar com o time da Red; sua função, diferente do coaching, estuda a complexidade do ser humano e acaba auxiliando nas relações dentro de uma gaming house, por exemplo.

“Um dos maiores problemas que o game gera é o estresse por conta de todo mundo morar e ficar junto. O psicólogo cuida muito dessa parte e acaba facilitando a comunicação [do time] e acelerando o processo de otimização da equipe”, afirma Dutra.

Rafael Pereira criou o programa Preparando Campeões na CNB visando a saúde mental dos pro players. Foto: Reprodução - Millenium
Rafael Pereira criou o programa Preparando Campeões na CNB visando a saúde mental dos pro players. Foto: Reprodução

Rafael, formado em psicologia na Universidade Federal de Santa Catarina e criador do programa Preparando Campeões da CNB, explica que “enquanto o técnico, analista e outros podem focar sua atenção e trabalho em questões de aprendizado e prática, o psicólogo pode auxiliar entendendo como é o funcionamento do grupo e de cada um dos jogadores”, como por exemplo, ajudar o treinador a ter uma melhor ação sobre os jogadores de uma forma harmônica.

Além disso, para Alessandra, a profissão “tem um protocolo que é muito efetivo, porém, as pessoas preferem utilizar o coaching porque acham que a função está ligada a uma situação mais imediata, para alcançar metas”, sendo o principal motivo pelo qual as equipes optavam por utilizar mais o serviço de coaching em comparação ao de psicólogos dentro dos campeonatos.

Leandro Martins e antiga equipe da Keyd Stars no estúdio da Riot Games em São Paulo. Foto: Reprodução - Millenium
Leandro Martins e antiga equipe da Keyd Stars no estúdio da Riot Games em São Paulo. Foto: Reprodução

Voltado a outras prioridades, assim como a psicóloga explicou, o trabalho desenvolvido pelo mind coach é focar em soluções rápidas.

Martins atuou em 2017 como preparador mental de equipes do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) e Circuito Desafiante, estando presente no Relegation junto com a Operation Kino e Keyd Stars. Para o profissional, sua função “é basicamente encontrar formas diferentes de pensar e agir diante de algum desafio ou diversidade”, com o intuito de extrair a capacidade máxima do pro player instantaneamente.

Além disso, para Leandro, o preparo mental dos atletas ainda oferece uma percepção mais ampla de uma situação, “permitindo-o [o jogador] tomar melhores decisões e avaliando o contexto geral, diante de qualquer situação.” Por mais que o preparo mental seja voltado ao esporte, os jogadores que passam por este treinamento se beneficiam por inteiro, transformando sua visão da vida e a forma de viver. Porém, diferente da psicologia, o coaching realiza tudo isso em uma abordagem direta e instantânea.

Além de ter trabalhado com a KeyD, Leandro também acompanhou a Operation Kino durante o segundo split de 2017. Foto: Reprodução - Millenium
Além de ter trabalhado com a KeyD, Leandro também acompanhou a Operation Kino durante o segundo split de 2017. Foto: Reprodução

Dentro do esporte eletrônico, o trabalho auxilia na visão ampla de grupo e entendimento do jeito de ser do outro. “O mind coach também promove o ajuste da automotivação do grupo, como se fosse uma pessoa só criando na equipe um ‘espírito’ de campeã, independente (sic) da sua situação ou posição na tabela”, completa Martins.

Resumindo: o mind coach trabalha para obter resultados rápidos, justamente voltado para a questão das metas, enquanto o psicólogo fica responsável por outras diversas área mentais e comportamentais dos jogadores, focando em sua melhora de forma contínua.

Mas e você - se tivesse um time, contrataria um mind coach ou um psicólogo?

Texto escrito por Siouxsie Rigueiras

Toxicidade: O mal de uma geração no esport

Entenda o impacto de comportamentos tóxicos dentro e fora dos jogos e como é possível contribuir para não agravar certas situações

0

Mais Reportagens

21:15 Valorant: Sharks vence FURIA e se classifica para o Masters Reykjavík
18:36 Valorant: FURIA elimina Havan Liberty e encara Sharks por vaga no Masters Reykjavík
18:25 MSI 2021: "Precisamos consertar o early game", diz Cariok após derrota para MAD Lions
16:00 Six Invitational 2021 terá distribuição de Twitch Drops durante transmissões
14:51 MSI 2021: Pain perde para MAD Lions e acumula mais uma derrota no torneio
14:00 LoL: Cosplay de Qiyana True Damage impressiona pela semelhança com a campeã
13:28 Virtus Pro é desclassificada do Six Invitational 2021 após casos de Covid19 na equipe
12:00 LoL receberá mini reworks de Sona e Tahm Kench no segundo semestre
10:00 Jogador mostra como abater dragão por trás da parede sem tomar dano no LoL
21:14 Como ficar rico rapidamente em Resident Evil Village

Recomendados

Qual é o futuro das loot boxes no Brasil?
Afrogames e a luta coletiva de jovens negros por mais oportunidades nos games
Exposed nos esports: como denunciar e agir diante de casos de violência sexual

Descubra guias

Quando a FURIA joga?
Agenda completa de quando o FalleN joga pela Team Liquid