Millenium / Últimas reviews de Games /

Review Rainbow Six Extraction: Desafiador, intimidador e cooperativo, porém repetitivo

Review Rainbow Six Extraction: Desafiador, intimidador e cooperativo, porém repetitivo
0

Jogo traz o melhor da jogabilidade Rainbow Six Siege em mapas mais amplos e tem co-op eficiente, mas perde brilho conforme se avança na campanha

Review Rainbow Six Extraction: Desafiador, intimidador e cooperativo, porém repetitivo
70

Lançado em dezembro de 2015, Rainbow Six Siege rapidamente se tornou um FPSs competitivos de maior sucesso no mundo, e os mais de seis anos desde o seu lançamento mostram que, entre altos e baixos, foi uma aposta certeira da Ubisoft em sua entrada no cenário de esports. A publisher francesa sempre procurou trazer novos conteúdos para o jogo, mas pela primeira vez procurou utilizar a base estabelecida em Siege para criar um derivado da franquia focado não na competição, mas sim na cooperação: Rainbow Six Extraction, uma experiência focada numa campanha com história e vários dos operadores mais populares de Siege, casos de Hibana, Ela, Pulse, Sledge, Capitão, entre outros.

Em Extraction, o mundo foi invadido por fomas de vida aparentemente alienígenas nomeadas como Carapaças, que dão origem a parasitas conhecidos como Arqueanos, apresentados pela primeira vez em 2018, no evento Outbreak de Six Siege. A partir daí, cabe aos agentes da REACT, sigla em inglês para Equipe Rainbow de Análise e Contenção Exógena, enfrentar essas ameaças espalhadas por diversos pontos ao redor do mundo, ou melhor, dos Estado Unidos, onde ficam todas os mapas do jogo.

Em todas essas missões, você sempre precisará estar acompanhado de outros dois jogadores, e a boa comunicação do trio contra uma ameaça comum é peça fundamental para o sucesso. Além disso, caso você escolha um operador e morra com ele em alguma missão, terá que obrigatoriamente escolher um outro operador na nova tentativa e, de quebra, resgatar o personagem (ou os personagens) perdido na jogatina anterior. Justamente por isso, é preciso sempre atento a barra de saúde e e aos recursos disponíveis, pois perder os personagens com quem se tem mais familiaridade pode custar caro.

Além disso, aqueles que já estão familiarizados com Six Siege não deverão ter tantas dificuldade em se adaptar no uso das armas e gadgets exclusivos de cada um dos 18 operadores presentes em Extraction - um número consideravelmente menor que os mais de 60 personagens jogáveis em Siege. Por outro lado, se o título oferece menos agentes especiais jogáveis, ele compensa com mapas mais amplos e um aspecto de sobrevivência e gerenciamento de recursos que o diferencia positivamente.

Contudo, se Rainbow Six Extraction traz várias novidades para se justificar como uma experiência 100% à parte de Siege, é necessário apontar que as boas ideias trazidas pela Ubisoft esbarram no principal problema do jogo: a repetitividade das missões após algumas horas de jogatina. O título é competente e divertido em todas as mecânicas de gameplay, mas se torna cansativo quando alguns padrões de missões começam a se repetir.

Confira, a seguir, a análise completa do MGG Brasil.

História distante e pouquíssimo desenvolvida

Rainbow Six Extraction tem atmosfera intimidadora e caráter cooperativo como pontos fortes - Millenium
Rainbow Six Extraction tem atmosfera intimidadora e caráter cooperativo como pontos fortes

Embora seja um jogo com uma campanha "zerável", Rainbow Six Extraction tem uma história bem menos desenvolvida do que outros shooters da Ubisoft da franquia Tom Clancy's, especialmente se comparado a exemplos como The Division 1 e 2. As pistas sobre a lore do jogo estão espalhadas principalmente pelos mapas das missões, por meio de documentos que revelam mais sobre o que está por trás da ameaça que os Arquenos representam.

Quem jogar Extraction esperando por um jogo com uma história bem desenvolvida e mais reveladora sobre os operadores do jogo, irá se decepcionar nesse aspecto. Por mais que montar o quebra-cabeça de pistas sobre trama seja, em algum nível, recompensador, a sensação que fica é que a Ubisoft perdeu a chance de finalmente mostrar sobre um elenco de personagens que já amplamente conhecido pela comunidade de Rainbow Six ao optar por uma abordagem mais distante da trama e com pouquíssimo desenvolvimento da lore de um universo potencialmente rico.

Ainda assim, jogadores que preferem um clima de mistério terão, sim, o que explorar em Extraction, e para desbloquear todo o conteúdo presente no mapa, entre missões não obrigatórias para progressão e arquivos espalhados pelos mapas, será necessário gastar algo em torno de 20 horas. Quem estiver preocupado em apenas fazer os conteúdos obrigatórios, provavelmente irá zerar R6 Extraction em menos de 10 horas. Jogadores proficientes provavelmente conseguirão em ainda menos tempo, precisando de aproximadamente 8 horas para zerar o conteúdo principal do jogo.

Abordagem tática e furtiva é a chave para o sucesso

Abordagem furtiva é a chave para o sucesso nas missões - Millenium
Abordagem furtiva é a chave para o sucesso nas missões

Antes da campanha começar efetivamente, os jogadores têm a chance de jogar uma espécie de tutorial que mostra o básico das mecânicas de Rainbow Extraction. Assim como ocorre em Siege, fazer bom uso dos drones dá aos jogadores um grande ganho de informação, permitindo abordagens mais furtivas e seguras. Como os arqueanos não têm medo de partir para cima dos operadores, cabe ao trio de jogadores atuar de forma agrupada, coordenada e, principalmente, com a comunicação em dia

Tentar bancar o herói e avançar sozinho pelo mapa é, além de uma abordagem de alto risco e, normalmente, baixa recompensa, se expor ao risco de perder seu operador favorito por pura de cuidado. Como os mapas de Extaction, em todas as cidades dominadas pelos Arqueaos, são consideravelmente mais amplos que os de Siege, é preciso ficar extremamente atento a tudo que acontece ao seu redor para não ser surpreendido.

Os Arquenos são capazes de tomar o corpo de uma pessoa e e têm grande capacidade de multiplicação. Justamente por isso, a abordagem furtiva é preferível, pois os trios de jogadores podem eliminar aos poucos esses parasitas em vez de encarar vários ao mesmo tempo, perder uma grande quantidade de vida ou atéa mesmo operadores com boas armas de gadgets.

Os arqueanos são capazes de espalhar pelos chão dos mapas de Nova Iorque, Alasca, Novo México e São Francisco um lodo escuro que deixa os operadores consideravelmente mais lentos e vulneráveis, e este é mais um motivo para jogar de forma agrupada, lenta e furtiva, pois um simples vacilo pode ser fatal

Os objetivos das missões são diversos, passando pelo resgate de outros operadores da REACT, destruição de ninhos parasitas, missões de reconhecimento de território ou apenas sair matando os Arqueanos e todas as vítimas já infectadas por eles e que não têm mais salvação.

Cada missão têm três objetivos obrigatórios, mas é possível fazê-la aos poucos, inclusive retornando à base após cumprir um ou dois objetivos. No entanto, quem consegue realizá-las numa única run é mais recompensado. Porém, é preciso alertar que não é fácil ter sucesso de cara nas missões de Extraction, a não ser que você já seja um jogador habilidoso em Six Siege e conte com amigos igualmente proficientes, ou pelo menos com um nível de habilidade próximo. E não se engane, pois uma única baixa na equipe é suficiente para aumentar enormemente a dificuldade da missão.

Repetitividade é o calcanhar de Aquiles

Arqueanos são capazes de contaminar seres humanos de forma irreversível - Millenium
Arqueanos são capazes de contaminar seres humanos de forma irreversível

Se na parte mecânica Rainbow Six Extraction é competente e oferece um gameplay dinâmico e satisfatório, também é preciso destacar que, depois de algumas horas jogando, as missões e desafios se tornam um tanto repetitivos. Como não há tanta diversidade de objetivos, mudar de mapa traz como principal atrativo uma nova ambientação, e naturalmente, mapas que exigem uma abordagem diferente.

Essas pequenas alterações, porém, não anulam o fato de que a repetição de objetivos tornam a experiência bem menos divertida depois de algumas horas. Se no começo tudo é desafiador e incentiva uma abordagem cuidadosa dos trios de jogadores, na reta final da campanha a sensação de cansaço é um aspecto que precisa ser pontuado.

Além disso, a diversidade de inimigos deixa bastante a desejar, e os momentos de maior frescor em termos de novidade são as batalhar contra as Singularidades, variantes bem mais poderosas dos Arqueanos e que funcionam como os chefões do jogo. A esperança que fica é que, no futuro, a Ubisoft lance novos conteúdos para tornar Extraction mais diversificado.

Conclusão

Repetitividade e pouca variedade de inimigos são o ponto fraco de R6 Extraction - Millenium
Repetitividade e pouca variedade de inimigos são o ponto fraco de R6 Extraction

Em linhas gerais, Rainbow Six Extraction tem várias das principais qualidades de Rainbow Six Siege, como o forte apelo a uma abordagem mais tática, um modo cooperativo que privilegia trios bem coordenados e agentes que realmente possuem características únicas. Por outro lado, essa necessidade de ter uma equipe afiada torna altamente recomendável que se jogue sempre com outros dois amigos. Caso contrário, você dependerá da sorte de cair com pessoas que entendam que trocar tiro é apenas uma pequena parte do sucesso a cada nova missão.

Entre os pontos mais fracos do jogo, a falta de uma história melhor desenvolvida e a repetitividade de missões e inimigos depois de algumas horas tornam Extraction mais cansativo do que o desejável. Caso queira manter o jogo vivo por mais tempo, a Ubisoft precisará trabalhar constantemente na inclusão de novos conteúdos que faça os jogadores desejarem retornar ao FPS.

Por fim, é preciso dizer que se você é um fã R6 Siege, muito provavelmente irá gostar de Extraction pelo menos na parte de gameplay. Para novos jogadores, vale a ressalva de que, apesar de muito competente em todas as mecânicas e na boa variedade de agentes, o jogo parece mais pensado para pessoas já iniciadas no universo de Siege ou que, na pior das hipóteses, gostem de FPSs cooperativos e como foco numa abordagem mais cuidadosa do que games nos quais "atirar bem" é o suficiente para avançar sem grandes dificuldades.

Rainbow Six Extaction está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X/S e PC. O jogo foi testado pelo MGG Brasil no Xbox One, numa chave de acesso fornecida pela Ubisoft Brasil.

esports

Six Invitational 2022 muda de sede e será disputado na Suécia

Mundial de Rainbow Six aconteceria em Quebec, no Canadá, mas disparada de casos de Covid-19 aumentou restrições de eventos em todo o país

Qualificatório LATAM do Six Invitational 2022 será disputado em Estocolmo

Black Dragons, MIBR, Fenix, Malvinas, Furious Gaming e Akaye Esports, que fechou com a ex-lineup da Atheris Esports, brigam por uma vaga no Mundial

esports

Six Invitational 2022 tem novo regulamento e grupos revelados

Primeira fase terá quatro grupos com 5 equipes e partidas MD3; Mapa de vantagem na grande final está abolido

0
Gabriel SALES
Gabriel Sales

Jornalista apaixonado por games desde o jardim de infância e fã de quase todo tipo de RPG, especialmente os da série Chrono. Nos esports, shooters e jogos de luta são minhas maiores paixões, mas abraço qualquer jogo com uma cena competitiva pulsante.

Mais Reportagens

19:24 Omegha anuncia desligamento de Mit e ex-caster se manifesta
18:58 LoL: Riot trai a si mesma, saiba como as novas skins colocam o futuro da empresa em risco
18:30 Pedra de Forja Dracônica Sombria Elden Ring: Onde encontrar?
17:35 Valorant Challengers Brazil: LOUD atropela NIP e avança à grande final
17:00 Enxame de Moscas Elden Ring: Onde encontrar o encantamento de sangramento?
16:15 Overwatch 2: O que acontecerá com as loot boxes guardadas do primeiro game?
15:04 Elden Ring em Fortnite? A colaboração que pode aparecer em um futuro próximo
14:50 Bug em habilidades de Olaf e outras falhas corrigidas com o Patch 12.12 do LoL
14:30 LoL: A contradição dos campeões mais populares e o objetivo oculto da Riot com Nilah
14:25 Valorant Masters Copenhagen será o primeiro da história com presença de torcida

Recomendados

Mudando de vida: como Free Fire e LoL trouxeram novas perspectivas para a favela
PogChamp, LUL, Kappa: O significado e origem dos memes dos esports
Conheça os jogos que foram sucessos ou fracassos na história dos games

Descubra guias

Diablo Immortal é pay to win ou não? E quais são os limites para jogadores F2P?
Classes de Diablo Immortal: quais são elas e qual escolher?
A melhor build para Necromante em Diablo Immortal: guia com habilidades, gemas e mais